Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bem vindo ao Visão Notícias - 04 de Março de 2024 - 07:20

PREVENÇÃO

Aedes aegypti: em janeiro foram mais de 5 mil residências visitadas

06 de Fevereiro de 2024 ás 08h 27min, por Daiane Stela
Foto por ASSESSORIA

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) reforça a importância da colaboração de todos na prevenção da proliferação do mosquito Aedes aegypti. Durante o mês de janeiro, as equipes de endemias intensificaram suas ações, realizando mais de 5 mil visitas em diversos setores do município.

O empenho resultou na identificação e eliminação de 1.920 focos do mosquito transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya. Esses esforços são necessários para manter a incidência dessas doenças sob controle e garantir o bem-estar da população.

O Centro de Combate às Endemias, responsável por coordenar as ações de controle, destaca a participação ativa da comunidade. Durante o mês passado, foram recebidas 43 denúncias por meio do telefone disponibilizado para a população (66 9 9994-8559). Essa parceria é fundamental na identificação rápida de possíveis focos do Aedes aegypti, permitindo uma resposta eficaz por parte das equipes de saúde.

O coordenador de endemias Alef de Souza Costa, ressalta que estamos na época de chuvas e que é preciso atenção. “Nesse período do ano é natural que sejam encontrados muitos focos, já que estamos em pleno período chuvoso. Mas os cuidados continuam os mesmos, não deixar objetos que acumulam água no quintal e sempre receber o agente de endemias”, explicou 

“O trabalho das equipes tem alcançado bons resultados, com muitas visitas e milhares de focos eliminados. Mas a população não pode deixar de fazer sua parte, a prevenção é a chave para evitar a propagação de doenças. A união de esforços entre poder público e comunidade é essencial para podermos construir um ambiente mais saudável e seguro para todos”, enfatizou o coordenador de endemias.