Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bem vindo ao Visão Notícias - 27 de Maio de 2022 - 12:10

CONTRA CRÍTICAS

TSE irá fornecer boletins no dia da eleição para apuração paralela

04 de Maio de 2022 ás 16h 09min, por DA FOLHAPRESS
Foto por Agência Senado

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu que, neste ano, os boletins com o resultado de cada urna eletrônica serão disponibilizados ao público no mesmo dia da eleição.

Assim, órgãos e entidades que acompanham o pleito ou mesmo cidadãos comuns poderão fazer a totalização dos votos em tempo real e em paralelo à corte eleitoral.

Será a primeira vez que o tribunal irá fornecer esse serviço logo após o fechamento das urnas. Em anos anteriores, os boletins eram publicados na internet em até três dias depois do pleito.

A mudança foi aprovada pelo plenário do tribunal em março.

A alteração no fluxo de publicação dos boletins faz parte da estratégia do tribunal de criar um discurso que fortaleça a Justiça Eleitoral frente à ofensiva contra o sistema eletrônico de votação.

O tribunal vem adotando uma série de medidas para ampliar a transparência do sistema eletrônico de votação na tentativa de esvaziar o discurso do chefe do Executivo de que as urnas são passíveis de fraudes.

O presidente do tribunal, ministro Edson Fachin, foi o relator da proposta e defendeu a alteração da regra.

"Com o objetivo de ampliar o acesso à informação e, consequentemente, favorecer a máxima fiscalização e transparência, propõe-se a alteração da resolução para que cidadãos, partidos políticos, federações e candidatos possam visualizar no sítio eletrônico deste tribunal superior os boletins de urna e tabelas de correspondência encaminhados para a totalização, ao longo de todo o período de recebimento, e não mais em 3 dias, como preconizava a redação original", disse.

Possíveis apurações paralelas ao TSE com base nos boletins devem ser mais ágeis em relação às disputas de cargos majoritários, uma vez que o resultado da eleição para postos proporcionais, como deputado, depende de uma série de cálculos sobre o desempenho de cada partido, e não apenas por candidato.