Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bem vindo ao Visão Notícias - 27 de Maio de 2022 - 10:51

QUEIXA DE JAYME

Mendes: "Oriento a dar retorno, mas pendengas sempre existem"

22 de Dezembro de 2021 ás 07h 24min, por MIDIA NEWS
Foto por Mayke Toscano/Secom-MT

O governador Mauro Mendes (DEM) minimizou as críticas feitas pelo senador Jayme Campos (DEM) ao seu secretariado. Sem citar nomes, Jayme afirmou que não é atendido por pelo menos um secretário e nem recebe retorno de seus telefonemas. 

Em coletiva à imprensa nesta terça-feira (21), o governador declarou que sempre orienta seus secretários a darem retorno a todas as demandas, mas disse que as vezes é difícil atender a todos. Mendes ainda reconheceu que "pendengas" sempre existem e podem ser resolvidas. 

“Ele [Jayme] não fez [a reclamação] diretamente a mim, ele fez em público. Se fizer diretamente a mim eu vou ver detalhes ali e tentar as tratativas.  Sempre que possível eu oriento os meus secretários a darem retorno”, disse.

“A gente deve respeito a todos. Se possível eu gostaria de retornar todos os cidadãos que passam mensagem para mim, que pedem uma audiência com o governador. Agora, eu daria aí umas 200 audiências por dia, responderia dois mil mensagens por dia e é humanamente impossível você conseguir isso”, acrescentou.

Mendes ainda declarou que o grande retorno do governo é dado ao cidadão.

“Temos um Estado melhor, uma saúde funcionando, uma infraestrutura muito melhor, um Estado a olhos vistos muito melhor do que nós encontramos há três anos”, afirmou.

“Eu estou muito feliz, mas não tem problema, algumas pendengas sempre existem e podem ser sempre melhoradas”, pontuou.

As críticas

As críticas de Jayme foram dadas nesta segunda-feira (20) durante a inauguração da ETA (Estação de Tratamento de Água) do Bairro Cristo Rei em Várzea Grande, evento em que Mendes também esteve.

Segundo o congressista, as ligações são realizadas para fazer pedidos sobre questões referentes às demandas da população, como reformas de pontes e recapeamento e pavimentação. 

“Não peço nada que não seja republicano. Não sou empreiteiro, não sou fornecedor do Estado, nem prestador de serviço. O que eu quero é o mínimo de respeito até pela minha trajetória e biografia”, disse. 

Jayme ainda relembrou que foi um dos apoiadores de Mendes na campanha de 2018, bem como teve o apoio do colega de partido no mesmo pleito. No entanto, ameaçou deixar o palanque se nada for feito.

“Eu exijo respeito. Caso contrário não me resta alternativa. Continuar em Governo que o secretario não te respeita? Não vai, né amigo. [...] Se não tratar o Jayme Campos como tal, não quer meu apoio. Se não quer meu apoio, tem quem quer. E eu vou caçar meu rumo. É aquela velha história: oferecido não tem preço”, emendou.