Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bem vindo ao Visão Notícias - 14 de Agosto de 2022 - 03:32

WF E NERI AO SENADO

Janaina cobra definição de nome e se diz contra palanque dividido

01 de Junho de 2022 ás 11h 49min, por MIDIA NEWS
Foto por JLSiqueira/ALMT

A deputada estadual Janaina Riva (MDB) avaliou que caso o governador Mauro Mendes (União Brasil) siga indefinido sobre quem será seu candidato ao Senado nas eleições deste ano, pode acabar dando a vitória para um terceiro nome.

Hoje disputam a atenção de Mendes dois pré-candidatos: o deputado federal Neri Geller (PP) e o senador Wellington Fagundes (PL). Ambos estão na base aliada do Governo, que agora já tem um terceiro nome apresentado, o da médica Natasha Slhessarenko (PSB).

“Hoje, talvez, a divisão pode dar a vitória para um terceiro nome: como o da Natasha, ou da esquerda. Então depende se ele [Mauro Mendes] tem a vontade de fazer um senador e o quanto isso é importante para ele”, afirmou Janaina, que é nora e apoia Wellington.

Segundo Janaina, ter mais de um pré-candidato ao Senado no mesmo palanque pode não ser uma escolha boa para o governador, caso ele queira que o seu grupo saia vitorioso nas urnas.

Ela lembrou que, ao contrário do que ocorre com na corrida pelo Palácio Paiaguás, no Senado, o candidato não precisa de mais de 50% dos votos para vencer.

“Acho que se for muito importante para o Governo, ele tem que concentrar em um apoio só. Porque a candidatura ao Senado é diferente do Governo, você não precisa de mais de 50%. Jayme foi eleito com 19%. Essa divisão, se ele quiser eleger um senador, é ruim”, afirmou.

A deputada afirmou que tem cobrado um posicionamento do governador o quanto antes, a fim de evitar que a própria base fique “atrapalhada”. No entanto, ela adisse entender a posição estratégica de Mendes de aguardar o resultado de pesquisas e a avaliação do cenário antes de anunciar sua posição oficial.

“Ele é o favorito nas pesquisas, está em uma condição muito favorável e não quer se pronunciar nesse momento, está aguardando as pesquisas para ver como vai ficar”, disse.

“Talvez pensando no seu projeto próprio, como todos nós também estamos, essa seria a decisão mais sábia. Mas com relação ao restante dos partidos, cria uma instabilidade muito grande. Estamos aguardando uma decisão dele o quanto antes”, afirmou.

Palanque dividido

Sobre a ideia defendida por parte da base do governador, de que o palanque seja dividido por Neri e Wellington, Janaina disse ver como algo “muito mais difícil do que parece”.

“Quem ficaria de fora da coligação do governador? A receita não é simples assim, como fazer um bolo”, criticou.

Para a deputada, a proposta é quase impossível de ser materializada.

“Essa divisão de palanque parece simples falando da boca para fora, mas alguém teria que ficar fora da coligação. Ou o governador teria que ficar sem coligação nenhuma, ficando inclusive sem tempo de TV e programa eleitoral”, afirmou.

Apesar do impasse, a emedebista não vê que uma decisão por parte de Mendes possa rachar de vez a sua base aliada.

“Eu acho muito difícil hoje o grupo rachar. Se a gente citar o PP, PL e PSD, que são os mais envolvidos nessa questão do Senado, todos os deputados apoiam o governador. Então, por mais que houvesse um racha dos líderes, não haveria um racha da base. Isso seria muito difícil de acontecer, porque foram anos caminhando juntos".