Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bem vindo ao Visão Notícias - 03 de Dezembro de 2021 - 20:53

AUDIÊNCIA PÚBLICA

Prefeito de Sinop cobra empresas concessionárias em audiência pública da AGER MT

24 de Setembro de 2021 ás 11h 16min, por Vanessa Kienen
Foto por ASSESSORIA

O prefeito Roberto Dorner participou da 1ª Audiência Pública da Ouvidoria da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso, (AGER/MT), na tarde de ontem (23), na Câmara Municipal de Sinop. Na ocasião estiveram presentes representantes de instituições, prefeitos da região, secretários municipais, cidadãos e representantes das empresas que são regulamentadas pela Ager. A audiência foi realizada de maneira híbrida (presencial e online).

A Ager tem como objetivo regular, normalizar, controlar e fiscalizar, nos limites da lei, os serviços públicos e suas respectivas tarefas. A audiência foi realizada para que os munícipes colocassem em discussão suas reivindicações e problemas relacionados aos serviços de saneamento, rodovias, portos e hidrovias, transporte coletivo intermunicipal de passageiros e seus terminais rodoviários; distribuição de gás canalizado; energia elétrica e telecomunicações. O prefeito Roberto Dorner colocou em pauta um problema levado ao executivo pelos moradores de áreas rurais, e alguns pontos da cidade, onde há falta de energia constante, o que tem acarretado queima de eletrodomésticos.

“Os moradores da Gleba Mercedez e os vizinhos em volta, reclamam que quando a energia cai ficam de três a quatro dias sem energia. Todo agricultor, todos que moram no campo geralmente tem a carne no freezer. Nós queremos que melhore toda aquela região que abrange aquele lado da Cruzeiro do Sul. As pessoas que estão no campo merecem ter uma boa energia. Nós temos na cidade algumas deficiências também. Como prefeito eu tenho esse pedido a fazer a vocês”, pontuou o gestor.

O gestor ressaltou outro ponto da cidade em que há muitas reclamações sobre a falta de energia. “A Gleba Selene é uma Gleba que tem aqui perto da cidade, que tem laticínio, e tem reclamação que falta energia. Um laticínio você sabe, se faltar energia a produção de leite vai tudo embora. Então a gente pede uma atenção especial para esses lugares. São reclamações que chegam à prefeitura e a gente pede para vocês a necessidade de dar uma melhorada naquela região também”.

A secretária de Assistência Social de Sinop, Scheila Pedroso frisou o direito dos idosos e a garantia dos serviços de transporte coletivo, municipal e interestadual. “Eu vim em nome da Assistência Social e das pessoas que utilizam os serviços oferecidos pelas nossas unidades. Nós pedimos principalmente pelos direitos das pessoas idosas em relação à garantia dos serviços do transporte coletivo tanto municipal como os interestaduais, no sentido de ter informações mais claras para os usuários. Sabemos que existem direitos previstos em lei, mas nem todos têm esse esclarecimento, muitas agências e empresas fazem questão de não oferecer e divulgar esses serviços. E nós precisamos que isso seja bem claro para todos os usuários. Também peço por mais acessibilidade, um olhar para as pessoas com deficiência. Muitas empresas não estão preparadas para receber esse público, e precisamos garantir que os direitos de todos sejam respeitados”.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Klayton Gonçalves, recebeu de empresários do município mensagens sobre a demora de resposta para os atendimentos da concessionária de energia, e frisou para a empresa os danos causados em casos que a energia fica apenas “meia fase”. “Tem um caso de uma empresa que fica na Avenida Dom Henrique Froehlich, que é muito próxima a catedral, que tem um protocolo aberto pelo proprietário no dia 08/09 e era dia 12/09 ainda não havia sido atendido, no cenário de meia fase. Se torna complicado esse trabalho para todos nós, hoje em dia nós não conseguimos ficar sem energia, então, verificar a possibilidade ou como tratar para que esse tempo de retorno para quando abrir um chamado, se existe a possibilidade dele ser menor”. Ressaltou o secretário.