Bem vindo ao Visão Notícias - 01 de Dezembro de 2020 - 00:54

Outubro Rosa

Ginecologista do Mato Grosso Saúde reforça importância do autoexame nas mamas

19 de Outubro de 2020 ás 08h 26min, por Assessoria
Foto por Assessoria

O sintoma mais comum do câncer de mama é a presença de um nódulo no seio. Ele costuma a ser indolor, duro e irregular, e a maneira mais eficaz para sua detecção é o autoexame nas mamas.

A ginecologista Karin Rubio, da Clínica Vida, credenciada ao Mato Grosso Saúde, aproveita a campanha do Outubro Rosa para lembrar que a mulher deve se cuidar não somente durante esse mês, mas durante o ano inteiro.

“O autoexame das mamas é uma técnica simples que faz a diferença na sua vida. O corpo é seu, quem vai sentir primeiro os sintomas é você, por isso, o sinal de alerta é importante partir de você. É necessário o autoconhecimento, perder o medo, a vergonha e se tocar para evitar esse mal”, reforça Karin Rubio.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima 1,38 milhão de novos casos da doença e 458 mil mortes por ano. Os dados da Sociedade Brasileira de Mastologia apontam que uma a cada 12 mulheres vão desenvolver câncer de mama até os 90 anos de idade.

Karim Rubio comenta que o choque das pacientes ao receberem o diagnóstico é perceptível. "Ser diagnostica com o câncer de mama é assustador e é possível perceber isso no olhar das mulheres quando entregamos o resultado positivo", afirma a médica.

Segundo a ginecologista, cada paciente descobre as formas de lidar, demonstrar ou esconder suas dores. "É uma doença cruel e que afeta diretamente os símbolos do ser mulher. Mulheres acometidas podem ter muitas perdas, da mama, dos cabelos, da fertilidade e da libido. A enfermidade tem seu lado colateral, afeta as amizades, os amores, a família, enfim”, destaca.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), há vários tipos de câncer de mama e há medidas que contribuem para prevenção da doença. De acordo com a entidade, comportamento protetores: alimentação saudável, prática de atividades físicas com regularidade, evitar bebidas alcoólicas e manter um peso adequado, são capazes de evitar 28% de todos os casos da doença. 

“Para o ano de 2020 foram estimados 66.280 casos novos (no Brasil), o que representa uma taxa de incidência de 43,74 casos por 100.000 mulheres. É importante destacar também que, apesar de raro, o câncer de mama também acomete homens”, alerta Karin.

Quando há o desenvolvimento do câncer de mama, Rubio explica que o tumor tem características próprias e em cada paciente ele pode evoluir de diferentes formas. O sintoma mais comum é o nódulo. Outros sinais do câncer de mama são edema cutâneo semelhante à casca de laranja, retração cutânea, dor, inversão do mamilo, hiperemia, descamação ou ulceração do mamilo e secreção papilar, especialmente quando é unilateral e espontânea.

“A secreção associada ao câncer geralmente é transparente, podendo ser rosada ou avermelhada devido à presença de glóbulos vermelhos. Podem também surgir linfonodos palpáveis na axila”.

A médica aponta que quando se exclui os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama é o mais incidente em mulheres de todas as regiões do país. Em 2018, 17.763 pessoas morreram de câncer de mama no Brasil, sendo 17.763 mulheres e 189 homens, segundo o Atlas de Mortalidade do Ministério da Saúde, atingindo um índice de 13,84 óbitos/100.000.