Bem vindo ao Visão Notícias - 21 de Julho de 2018 - 4:25
Saúde
12/04/2018 - 09:30h
Secretaria de Saúde confirma morte por H1N1; Juína e Colniza tem casos suspeitos
Casos sob investigação em Tangará da Serra, Cuiabá, Juína e Várzea Grande.
Fonte: olhardireto

Uma pessoa morreu em Cuiabá, e outros sete em outras cidades de Mato Grosso, entre março e abril de 2018, vítimas do vírus influenza. A Secretaria de Estado de Saúde confirmou, nesta terça-feira (10), que a Vigilância Epidemiológica estadual recebeu 42 notificações de casos suspeitos de influenza em Mato Grosso.

Deste total, até o momento, estão em acompanhamento e sob investigação da vigilância 21 casos suspeitos de gripe influenza. O vírus causador seria o H3N2, que já circulou nos Estados Unidos e agora chega ao Brasil. A pessoa que morreu em Cuiabá, no entanto, foi vítima do vírus H1N1.

Dos casos sob investigação, um foi registrado em Tangará da Serra, cinco em Cuiabá, um em Juína e um em Várzea Grande. Um paciente de Colniza foi transferido para Cuiabá e apresenta sintomas da doença e está com quadro de saúde de melhora.

Dos dezoito casos confirmados pela Vigilância Epidemiológica como sendo de influenza, treze evoluíram para a cura. Dois deles são irmãos, e estão internados em um hospital particular de Cuiabá. O hospital já confirmou o diagnóstico de influenza.

Para se ter a certeza sobre se os casos são ou não de Influenza, os Escritórios Regionais de Saúde auxiliam os municípios no atendimento e no encaminhamento dos materiais coletados para exames que são realizados pelo Laboratório Central do Estado (LACEN), em Cuiabá. O resultado dos exames deve ser conhecido em até 28 dias.

Alessandra Moraes, coordenadora de Vigilância Epidemiológica da SES, explica que o serviço de Vigilância Nacional (CIEVS), do Ministério da Saúde, foi comunicado dos casos suspeitos e dos que foram confirmados até o momento. Além disso, a Vigilância orientou os municípios a realizarem o serviço de bloqueio em todos das famílias dos pacientes atendidos.

A SES solicitou ao CIEVS que encaminhe para Mato Grosso uma equipe técnica do EPSUS, que realiza o serviço epidemiológico de campo, para auxiliar os municípios onde ocorrem as mortes de pacientes com suspeita da gripe influenza H3N2.

Vacinação

A campanha de vacinação contra a gripe influenza será realizada em todo o país a partir do dia 23 de abril, sendo que o ‘Dia D’ será em 12 de maio. “Esse tipo de vacina não pode ser estocada porque é fabricada para atacar determinado vírus da doença e para aquele ano de vacinação”, explica Alessandra.

O público prioritário das vacinas serão os idosos, crianças com até cinco anos de idade, gestantes e profissionais da saúde e da educação. Quem não puder tomar a vacina deve se consultar e receber medicamento na rede municipal de saúde.  A vacina é aplica em dose única e combate três vírus diferentes da gripe influenza e previne a doença.
  
“A vacina é fundamental para prevenir a doença e para diminuir a gravidade da influenza naquelas pessoas que já estão com o vírus incubado no organismo”, ressaltou Alessandra Moraes.

Transmissão

De acordo com informação da Vigilância Epidemiológica, a transmissão dos vírus influenza se dá por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz).

Para evitar a contaminação, o Ministério da Saúde orienta à população a adotar cuidados simples, como lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

Os sintomas da influenza são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

Ao primeiro sintoma de gripe ou de um quadro de síndrome respiratória aguda grave, e que podem evoluir para a influenza, é necessário procurar imediatamente a unidade de saúde municipal mais próxima.


Cadastro de Opinião
Nome:
E-mail:
Mensagem:
Blog's
Curta Nossa Fan Page

© 2018, visão notícias O seu portal de informação