Bem vindo ao Visão Notícias - 16 de Outubro de 2018 - 10:03
Saúde
11/04/2018 - 10:33h
Sinop implanta Farmácia Solidária em parceria com Rotary e UFMT
O projeto foi idealizado pela entidade e consiste na coleta de medicamentos para redistribuição...
Fonte: Julia Munhoz

A Prefeitura de Sinop, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, celebrou convênio com a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT/Sinop) e o Rotary Teles Pires para implantação da primeira fase da Farmácia Solidária. O projeto foi idealizado pela entidade e consiste na coleta de medicamentos para redistribuição, mediante receita.

Para as doações foram implantados pontos de coleta de medicamentos nas lojas Gazin, na Avenida Júlio Campos e São Cristóvão, nas outras três Farmácias Regionais do município, nos três hospitais particulares Santo Antônio, Dois Pinheiros e Maternidade Jacarandás e nas igrejas Catedral e Batista do Jardim Botânico.

Segundo o professor e presidente do Rotary Teles Pires, Mário Sugizaki, podem ser feitas doações de medicação de amostras grátis de clínicas, distribuidores ou de qualquer pessoa que possua medicação em casa sem uso. “Doações não são apenas de amostras grátis de médicos e farmácias ou indústrias, mas de pessoas que tomam medicamento sobra e fica em casa e não usa”.

Toda a medicação recebida por doação passará por triagem feita pelos alunos e professores do curso de Farmácia da UFMT, que também serão responsáveis pela coleta e distribuição, no caso de medicamentos vencidos, será dada a destinação final correta, já que ele não pode ser descartado junto com o lixo domiciliar.

Na parceria, a Prefeitura de Sinop disponibilizou a Farmácia Regional IV (na esquina da Avenida das Itaúbas) todas as sextas-feiras, das 7h30 às 11h30, para que professores e alunos do curso de Farmácia da UFMT façam a distribuição dos medicamentos, para munícipes, mediante receita médica. A meta é que após a implantação os horários de atendimento sejam estendidos.

O projeto Farmácia Solidária já foi implantado em várias cidades do país e o professor da UFMT lembra ainda que o objetivo final da ação é a solidariedade. “As pessoas que precisam e não tem condições de comprar o projeto pode oferecer a quem precisa, pois é solidariedade. Já que há pessoas que ficam com medicamento em casa e perdem. Existe muito desperdício. É a solidariedade de doar a quem precisa”, finalizou Mário.


Cadastro de Opinião
Nome:
E-mail:
Mensagem:
Blog's
Curta Nossa Fan Page

© 2018, visão notícias O seu portal de informação