Bem vindo ao Visão Notícias - 17 de Novembro de 2018 - 17:57
Agrícola
15/10/2018 - 07:00h
Pecuaristas aumentam a produção de carne com o uso da tecnologia em MT
Mato Grosso se firma cada vez mais como o maior produtor de carne do país.
Fonte: G1 MT
Investimentos em pastagens e no melhoramento genético do rebanho ajudam aumentar a produtividade das fazendas. Com esse trabalho Mato Grosso se firma cada vez mais como o maior produtor de carne do país.
Mato Grosso possui o maior rebanho bovino do país. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), só no ano passado o estado teve um rebanho de mais de 29 milhões de animais. Isso equivale a quase 14% de todo o rebanho nacional.
Em uma fazenda localizada em Denise, a 208 km de Cuiabá, o pecuarista Olímpio Rossi observa e cuida do gado da raça Nelore.
Com a ajuda da tecnologia, ele analisa pelo computador cada animal, avaliando as características genéticas.
São quase 3 mil cabeças em uma área de 4 mil hectares. A propriedade é dividida em piquetes, onde ele faz todo o ciclo, desde a inseminação até a venda para o abate.
Já os touros com melhor desenvolvimento genético são aproveitados para a reprodução.
Em uma outra fazenda, localizada em Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, Leone Furlanetto aumentou o rebanho e investiu em qualidade. Atualmente são criadas mais de 20 mil cabeças de Nelore e Angus.
O pecuarista consegue produzir uma média de 14 arrobas por hectare. A produção é voltada para a pecuária de corte e exportação.

Investimentos em pastagens e no melhoramento genético do rebanho ajudam aumentar a produtividade das fazendas. Com esse trabalho Mato Grosso se firma cada vez mais como o maior produtor de carne do país.

Mato Grosso possui o maior rebanho bovino do país. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), só no ano passado o estado teve um rebanho de mais de 29 milhões de animais. Isso equivale a quase 14% de todo o rebanho nacional.

Em uma fazenda localizada em Denise, a 208 km de Cuiabá, o pecuarista Olímpio Rossi observa e cuida do gado da raça Nelore.

Com a ajuda da tecnologia, ele analisa pelo computador cada animal, avaliando as características genéticas.

São quase 3 mil cabeças em uma área de 4 mil hectares. A propriedade é dividida em piquetes, onde ele faz todo o ciclo, desde a inseminação até a venda para o abate.

Já os touros com melhor desenvolvimento genético são aproveitados para a reprodução.

Em uma outra fazenda, localizada em Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, Leone Furlanetto aumentou o rebanho e investiu em qualidade. Atualmente são criadas mais de 20 mil cabeças de Nelore e Angus.

O pecuarista consegue produzir uma média de 14 arrobas por hectare. A produção é voltada para a pecuária de corte e exportação.


Cadastro de Opinião
Nome:
E-mail:
Mensagem:
Blog's
Curta Nossa Fan Page

© 2018, visão notícias O seu portal de informação