Bem vindo ao Visão Notícias - 20 de Outubro de 2018 - 10:48
03/06/2018 - 16:30h
Campanha Nacional de Hanseníase em escolares entra em sua reta final em MT
Mato Grosso foi o estado escolhido pelo Ministério da Saúde para o lançamento da campanha nacional.
Fonte: Assessoria

A 5ª Campanha Nacional de Hanseníase, Verminose e Tracoma em Escolares matriculados no ensino fundamental em escolas públicas do Estado, na faixa etária de 5 a 14 anos, está entrando em sua reta final neste mês de junho.

O Programa Estadual de Controle da Hanseníase, da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde, divulgou que em Mato Grosso, até agora, foram incluídas na plataforma FormSUS informações de 20 municípios, que representam 236 escolas. Desses dados, foram confirmados dois (2) casos de hanseníase em crianças, dois (2) casos suspeitos e apenas um (1) de tracoma tratável.

A coordenação do Programa Estadual alerta os municípios para que intensifiquem o lançamento das informações na plataforma FormSUS.

A meta até o fim da campanha, que se encerra em 30 de junho, é atingir 100% dos registros dos 101 municípios mato-grossenses que aderiram à ação e realização da busca ativa para diagnóstico e tratamento de casos de hanseníase, tracoma e esquistossomose em estudantes da rede pública. A adesão destes municípios é fruto do trabalho da Secretaria de Estado de Saúde, através da equipe técnica responsável pela Coordenadoria do Programa Estadual de Controle da Hanseníase, que projetava que apenas 69 municípios fossem aderir ao programa.

Mato Grosso foi o estado escolhido pelo Ministério da Saúde para o lançamento da campanha nacional. As primeiras atividades começaram por duas escolas de Várzea Grande, em março deste ano. Ao todo, serão beneficiados mais de oito (8) milhões de alunos matriculados no ensino fundamental em cerca de 40 mil escolas públicas de todo o Brasil.

Detecção da hanseníase

Para detecção de casos de hanseníase, a estratégia consiste na utilização da ficha de autoimagem que contempla sinais e sintomas sugestivos da doença. A ficha é entregue a cada aluno, a qual é preenchida pelos pais ou responsáveis e posteriormente devolvida à escola. As fichas são triadas pelos profissionais de saúde e os casos com lesões suspeitas de hanseníase são encaminhados para avaliação e início do tratamento, caso confirmado o diagnóstico. Os contatos dos casos diagnosticados também devem ser examinados.

No caso das geo-helmintíases ou verminoses, os alunos recebem profilaxia com Albendazol 400mg em dose única. Esse medicamento é eficaz, não tóxico, e utilizado, há vários anos, em milhões de pessoas de diversos países.

Quanto ao tracoma, os escolares são submetidos a exame ocular externo, realizado por profissionais capacitados. Os casos positivos e seus contatos domiciliares são encaminhados para tratamento.

Os municípios que aderiram às ações para esquistossomose realizarão exame de fezes na população escolar e tratamento individual ou coletivo dos casos, com base nos percentuais de positividade encontrados.


Cadastro de Opinião
Nome:
E-mail:
Mensagem:
Blog's
Curta Nossa Fan Page

© 2018, visão notícias O seu portal de informação