Bem vindo ao Visão Notícias - 26 de Junho de 2017 - 24:42
07/06/2017 - 06:34h
Secretário nega adiar salário para fim do mês e cita "cretinice"
Gustavo de Oliveira: “Não somos irresponsáveis e vamos batalhar para pagar essa folha no dia”.
Fonte: DOUGLAS TRIELLI

O secretário de Estado de Fazenda, Gustavo de Oliveira, não descartou a possibilidade de adiar o pagamento dos servidores públicos, que deveria ocorrer neste sábado (10). Entretanto, classificou como “cretinice” boatos de que o Executivo planeja arrastar o pagamento para o final deste mês.

 

Oliveira afirmou que somente poderá afirmar se vai pagar em dia ou com atraso no final da tarde de quinta-feira (8), após a entrada de recursos no caixa do Estado.

 

E ressaltou que desde dezembro passado que o Estado consegue o montante suficiente para arcar com a remuneração faltando poucos dias para o prazo máximo, que é dia 10 de todo mês.

 

“Desde dezembro, o Tesouro é muito pressionado. A folha é um gasto importante. Desde que assumi a Fazenda, nunca tive a certeza total de que íamos cumprir a folha no dia 10 até dois ou três dias antes. Preciso esperar até quinta-feira, registrar as receitas e propor o que faremos. A meta do governador é fazer isso dentro do prazo, até dia 10. Se não for possível, vamos dizer à sociedade”, afirmou.

 

“Mas não tem plano nenhum para jogar a folha para o final do mês. É uma cretinice, uma grande bobagem, quem fica dizendo isso sem ouvir o Tesouro. Eu me doo não por mim, mas pelo desespero do servidor. Jogar com o desespero do servidor, causar o pânico na sociedade com coisas irresponsáveis não é algo decente de se fazer”, disse.

 

Alair Ribeiro/MidiaNews

Gustavo Oliveira

“Desde dezembro, o Tesouro é muito pressionado. A folha é um gasto importante"

O temor surgiu após o Governo anunciar o adiamento do pagamento dos aposentados e pensionistas do dia 05 para o dia 08.

 

A folha líquida dos servidores ativos é de pouco mais de R$ 178 milhões.

 

“Dia 8 de dezembro não tinha dinheiro, mas depois conseguimos pagar a folha. Dia 6 de janeiro não tinha também, mas pagamos. Não é brincadeira o que temos que fazer para pagar essa folha, honrar com RGA [Revisão Geral Anual] e tudo mais. Ninguém tem ideia do que a equipe do Tesouro faz. Não somos irresponsáveis e vamos batalhar para pagar essa folha no dia”, afirmou.

 

De volta ao dia 30

 

Por fim, o secretário revelou não ter desistido da ideia de retornar o pagamento da folha para o dia 30 de cada mês.

 

A medida era esperada para se concretizar até julho deste ano, conforme disse o governador Pedro Taques (PSDB). Porém, com a queda dos repasses do Governo Federal e uma crise na Saúde, a ideia foi abortada.

 

“Não está descartado. Estamos trabalhando para isso. Se tiver receitas eventuais, conseguirmos recuperar arrecadação, é muito importante isso. Tínhamos conseguido voltar os aposentados e pensionistas para o dia 5, este mês não foi possível. Mas o plano é puxar isso até conseguirmos voltar ao dia 30”, disse.

 

“Essa é uma preocupação que deve ser maior que a RGA. Tenho certeza que se formos perguntar se a prioridade do servidor é RGA integral o mais cedo possível ou voltar a folha para dia 30, pelo que converso com o servidor, tenho certeza que a prioridade será voltar a folha”, completou.


Cadastro de Opinião
Nome:
E-mail:
Mensagem:
Videos
Blog's
© 2017, visão notícias O seu portal de informação